Atenção: você só tem mais um ano para usar o Windows 7 com segurança

windows

“Você ainda usa o Windows 7? Estatisticamente falando, as chances são grandes, já que apenas em dezembro de 2019 a versão 10 superou a 7 como mais usada em PCs no mundo. Por isso, é importante ficar alerta: dentro de um ano, não será mais seguro ou recomendável utilizar o Windows 7, que perderá o suporte da Microsoft.

Dentro de exatamente 365 dias, no dia 14 de janeiro de 2020, o Windows 7 encerrará o período de cinco anos de suporte estendido oferecido pela Microsoft. Isso significa que qualquer falha de segurança existente no sistema permanecerá aberta, já que não haverá novas atualizações para correções da brechas e vulnerabilidades.

É sempre bom notar, no entanto, que quem quiser pagar poderá continuar usufruindo por mais algum tempo de atualizações do sistema operacional. É um programa voltado para empresas chamado Extended Security Updates (ESU), que oferecerá atualizações por mais três anos após 2020, sendo que os preços aumentarão a cada ano, sendo limitado apenas às versões Professional e Enterprise do sistema.

A ação tende a gerar algum rebuliço daqui a um ano. A última pesquisa da NetApplications mostra que 36,9% dos computadores no mundo ainda rodam o Windows 7, o que é um número astronômico de PCs que deixarão de ser suportados pela Microsoft, e é ilusório acreditar que todas essas máquinas serão atualizadas ao longo do próximo ano.”

Matéria feita pelo Olhar Digital. Link da matéria: https://olhardigital.com.br/noticia/atencao-voce-so-tem-mais-um-ano-para-usar-o-windows-7-com-seguranca/81202

Anúncios

Mudanças na emissão de notas fiscais em 2018: fique por dentro da NF-e 4.0

Já está por dentro da NF-e 4.0? Durante o ano de 2018, haverá mudanças na emissão de notas fiscais. Em agosto, o novo padrão para a validação das notas estará em funcionamento. Se você vende produtos (bens e mercadorias), deve ficar ligado nas alterações do documento. A gente ajuda você a entender o novo layout da nota.

Entenda o que é NF-e 4.0 e o fim da NF-e 3.10

NF-e 4.0 é a “cara” nova da nota fiscal eletrônica de mercadorias. Ela se aplica a compras e vendas de produto, com regras específicas e diferentes do padrão usado anteriormente (NF-e 3.10). O arquivo XML da nota agora passa a ter uma nova organização e o sistema emissor precisa estar preparado para isso.

Depois de três anos, a “cara” da NF-e (nota fiscal eletrônica) está de mudança. Nota Técnica 2016.002, divulgada em novembro de 2016 pela Encat (Coordenação Técnica do Encontro Nacional de Coordenadores e Administradores Tributários Estaduais) estabelece um novo layout da NF-e 4.0 para o documento fiscal, emitido em operações envolvendo produtos.

Quando a NF-e 4.0 passa a valer?

A NF-e 4.0 já funciona desde 2017, mas ela será obrigatória a partir de 2 de agosto de 2018. Essa é a data definitiva: depois disso, notas no padrão 3.10 não serão mais validadas pelos órgãos do governo (Sefaz).

Só lembrando, a nota fiscal eletrônica só existe digitalmente: é um arquivo eletrônico no formato XML, que carrega as informações de uma operação de compra ou venda organizadas de forma estruturada. Essa estrutura, no arquivo XML, recebe o nome de “layout” (ou leiaute, em uma versão aportuguesada do termo, usada com frequência pela Receita Federal).

A nova versão do documento fiscal é fruto da mais significativa mudança promovida na NF-e nos últimos anos e obedece a uma política do Encat de só mexer no leiaute da nota quando há necessidades de alterações acumuladas.

A razão para isso é bastante fácil de compreender, pois cada modificação acaba exigindo ajustes tanto nos sistemas emissores quanto nas secretarias estaduais da Fazenda e nas próprias empresas que diariamente utilizam o documento em operações de compra e venda de mercadorias.

NF-e 4.0: Sequência de prazos para as mudanças

Desde 2014, a versão em uso é a 3.10, mas o novo leiaute da NF-e 4.0 já tem cronograma para entrar em vigor. A partir de 1º de junho, será iniciado o ambiente de homologação. Dois meses depois, será a vez do ambiente de produção com a nova versão. Mas a desativação completa, inicialmente prevista para ocorrer ainda em 2017, vai ficar para agosto de 2018.

Na prática (segundo a versão 1.60 da NT2016.002):

  • Ambiente de Homologação para testes por sistemas e por emissores: 20/11/2017
    (prazo mantido)
    Início dos testes dos programas emissores de nota. As notas na versão 3.10 ainda serão válidas.
  • Ambiente de Produção para emitir notas no novo layout: 02/07/2018
    (prazo alterado em 18/6/2018)
    Início do funcionamento na prática da emissão e validação das notas. Tanto as notas na versão 3.10 quanto 4.0 serão aceitas.
  • Desativação da versão 3.10 do layout anterior da nota:  02/08/2018
    (prazo alterado em 18/6/2018)
    Prazo máximo para a migração para NF-e 4.0. A partir daqui, a versão 3.10 não será mais aceita pelo governo.

Até agosto de 2018, nenhuma empresa será obrigada a adotar a NF-e 4.0, embora seja recomendado para se habituar às novidades.

Novos prazos do Boleto Registrado

Agora é pra valer: boletos não-registrados deixarão de existir em 2018 . A extinção total do modelo de cobrança sem registro ocorrerá no dia 22 de setembro, data que encerra o cronograma de implantação da Nova Plataforma de Cobrança da Febraban.

 

Novo Cronograma de implantação do Boleto Registrado

De acordo com o novo cronograma, que substitui os prazos estabelecidos em 2017, a implantação e obrigatoriedade do uso de boletos registrados ocorrerá em quatro etapas:

  • 24 de março de 2018 : boletos no valor de R$ 800,00 ou superior;
  • 26 de maio de 2018 : boletos no valor de R$ 400,00 ou superior;
  • 21 de julho de 2018 : boletos no valor de R$ 0,01 ou superior;
  • 22 de setembro de 2018 : o restante, como boletos de cartão de crédito, de doações, entre outros.

 

Durante o ano de 2017, a Febraban tentou implantar a Nova Plataforma de Cobrança utilizando um cronograma parecido com este. No entanto, devido às diversas dificuldades práticas do boleto registrado que afetam principalmente os e-commerces, os prazos foram adiados. Com isso, bancos, desenvolvedores de software e usuários do boleto bancário ganharam tempo para encontrar soluções e reduzir os impactos da nova plataforma.

Atualização da Versão 1.1.65.0111

1.1.65.0111 (11-01-2018)
– Alterado impressão da Duplicata – Agora mostra os campos TOTAL DO PEDIDO e FORMA DE PAGAMENTO

– Adicionado Data Padrão no sistema:
A partir de agora você pode configurar o período das datas do sistema para pesquisas e relatórios por usuário

– Adicionado Registro de Inventário Fiscal:
Foi criado a rotina de Registro de Inventário Fiscal, que permite você gravar o registro de inventário fiscal para o SPED e alterá-lo de acordo com suas necessidades

– Modificado o método de alterar NFe, para evitar que o número da nota possa ser atualizado acidentalmente:
Para evitar que o número possa ser modificado sem querer, na opção de alterar NFe o campo Número da Nota passa a ficar inabilitado

– Alterado cálculo de desconto no pedido.
O rateio de desconto por valor foi corrigido para tratar as dízimas

– Configuração para emitir a Nota Fiscal com o código do produto ou a referência do fornecedor:
No cadastro de filial, aba parâmetros foi criado um campo para você escolher se quer que a NFe seja impressa com o código do produto ou a referência.